Vale a pena continuar?

Algumas vezes em nossa caminhada somos tomados por um desanimo tão grande que nos coloca diante de uma dualidade inútil; o desanimo faz pensar se vale a pena ou não continuar. A verdade é que isso pouco importa. Valer a pena ou não é um conceito ultrapassado; coisa de quem tem em sua mente uma noção mercadológica da coisa toda. E não se trata disso. A arte não se trata de "valer a pena" ou "fazer sentido". Fodam-se esses dois conceitos. Faz-se arte porque a vida humana não basta. Faz-se arte porque há uma necessidade impossível de controlar que nos leva ao papel, à tela ou à máquina de escrever ou ao que seja. Faz-se arte por necessidade de imortalidade. E pouco importa se vale a pena ou não. O que importa é fazer.

Sempre.

Cabeça


Acabo de acordar. São cinco e cinquenta da manhã e o sol entrou pela fresta da persiana quebrada na última briga aqui em casa. Me levanto. O calor já está tão grande que os olhos doem. Olho para a esquerda e consigo ver a sujeira que fiz ontem no chão. Onde eu estava com acabeça? Não sei. Só sei que preciso parar com a putaria.
Vou até a cozinha e tudo fede a chorume. Um cheiro insuportável da merda. Parece até que o caminhão de lixo despejou um corpo na minha cozinha. - Puta merda! Com meu estômago embrulhado eu vou cheirando pelos cantos para achar o fedor. Não está na fruteira, nem na pia, não é da geladeira, nem do fogão e nem do tanque. Só resta ver na máquina de lavar e... caralho! Tem uma cabeça na minha máquina de lavar!

O exterminador

Eu fiz essa pintura em 2009, logo depois de saber que existia o "pen pressure" do photoshop. Era uma época de muitas conquistas e de expansão do mundo. É por isso que faço questão de me manter apaixonado e aprendiz. Quem aprende sempre está sempre vendo o mundo esticar.
Até daqui a pouco.

O pior amigo de todos

O pior amigo de todos é uma história sobre amizade e você você ler pagando com apenas um tweet até o dia 31. Basta clicar no botão abaixo.